A importância do agile no dia a dia da gestão do Branding


Sabemos que marcas são organismos vivos. Elas crescem ou diminuem sua força, na medida que podem conviver e trocar com sua audiência. E se enfraquecem nos feedbacks negativos, falta de posicionamento ou respostas inconsistentes.

Consequentemente, como tudo no mundo digital, precisam ser dinâmicas e responsivas às condições do mercado, ofertas competitivas e necessidades de seus consumidores.

Uma marca que se posiciona e responde rapidamente a um acontecimento pode ganhar Awareness e reforçar seus Atributos de marca de forma significante.

Pegue por exemplo, uma eliminação no BBB, uma declaração polêmica, um novo romance. Todo acontecimento de alta repercussão pode ser uma oportunidade positiva ou negativa de reforçar o propósito de uma marca e aumentar seu “bond”com sua audiência.

No paradoxo deste mundo ágil, um novo modelo de gestão de marcas tem emergido. Pesquisas mostram que as marcas com sucesso têm a habilidade de se adaptar rapidamente para manter-se relevante, enquanto ao mesmo tempo conseguem se manter fiéis ao seu verdadeiro DNA, suas promessas e identidade.

Adotar uma abordagem “agile” nas estratégias de branding significa ter visão clara das métricas, analisar, prototipar colaborativamente com as áreas envolvidas, testar com sua audiência, monitorar e aprender com os resultados, ajustar, testar, monitorar novamente e assim sucessivamente.

Assim, dados de monitoramento e métricas de marca, passam a ser um instrumento fundamental para o timing de resposta e ação neste mundo cheio de oportunidades para ancorar os valores de marca.

Uma reação ou resposta em tempo, pode-se transformar numa enorme oportunidade de valorização ou de prejuízo para uma marca.

O que é o Brand Pulse®, e o contexto do agile branding? Ágil, no contexto de branding, significa conseguir realizar ações de branding em tempos relativamente curtos, através de um mindset focado em dados e análises para obter continuamente soluções promissoras, implantando testes rapidamente, avaliando os resultados e iterando rapidamente. Em escala, um branding ágil permite a organização monitorar as estratégias de marca, reagir rápido com a colaboração de todas as áreas responsáveis, testar, monitorar novamente e assim sucessivamente.


a combinação do : Design Thinking, Lean e Agile

Muitas organizações pensam que estão trabalhando de forma ágil porque adotaram alguns princípios de agilidade, como testar e aprender ou colaborar entre equipes.

Mas isso apenas não é suficiente. O marketing muitas vezes não tem o suporte de outras áreas, como o departamento jurídico, TI ou finanças, portanto, aprovações, dependências de back-end ou gastos alocações são lentas. Ou agências, parceiros de tecnologia e mesmo empresas de Pesquisa de Mercado tradicionais não estão alinhados com a necessidade de velocidade, e assim a organização demora a responder. Com o Brand Pulse® da Blend, um tradicional Tracking de Imagem e Comunicação ganha instrumentos de agilidade, e é sistematizado para trazer a informação em Tempo Real, nas mãos dos squads.

Marcas com Propósito, Alinhamento e Autonomia

De acordo com Jonny Schneider, líder da Thoughtworks, Design Thinking é como nós exploramos e resolvemos problemas; Lean é o nosso framework para testar nossas crenças e aprender o caminho para os resultados corretos; Ágil é como nos adaptamos às mudanças de condições voláteis, complexas e ambíguas. Marcas que tem propósito, alinhamento e autonomia adotam o um branding agile, baseado nos três approaches: design thinking, lean e agile. Extendendo sua linha de raciocínio, a gestão de uma marca pode ser comparada a uma missão de combate. Uma equipe de pessoas qualificadas opera em condições de alta incerteza; um comandante define resultados claros com alguns princípios orientadores, mas esperamos o inesperado; e somos treinados para tomar as melhores ações, respondendo a novas informações à medida que a situação se desenrola. Tudo isso exige disciplina. E prática. Nas operações militares, é chamado de iniciativa disciplinada, e os soldados treinam para que possam praticar os movimentos de combate. Em "Toyota Kata: Gerenciando Pessoas para Melhoria, Adaptabilidade e Resultados Excepcionais" de Mike Rother, é chamado de prática deliberada e é assim que praticamos os movimentos do pensamento científico. É assim que as equipes de produtos podem se alinhar com o propósito, explorar a incerteza e aprender o caminho para alcançar os resultados desejados.

Quais os benefícios do Agile Branding?

O maior dos benefícios deste approach é a habilidade de poder se adaptar, mudar e ajustar qualquer ação de branding em qualquer etapa, com base no feedback, métricas, mudanças no mercado, obstáculos da organizacão.



De acordo com a McKinsey, “gerentes de produto agora funcionam em duas velocidades: eles planejam os lançamentos de recursos diários ou semanais, bem como o roteiro do produto para os próximos seis a 24 meses”.

Na área de Branding não é diferente. Gestores de marca devem ter entregas rápidas e diárias ou semanais, sem deixar de lado o pensamento estratégico da marca, olhando o futuro próximo. E para praticar o Agile Branding, é essencial ter informações precisas sobre os principais KPIs (Key Performance Indicators) em tempo real, à disposição dos Squads.

Seja inflexível na visão, mas flexível nos detalhes.” — Jeff Bezos

Fonte: https://www.thoughtworks.com/pt-br/insights/blog/understanding-how-design-thinking-lean-and-agile-work-together https://medium.com/@coroacavalo/agile-marketing-9061feab0d8 https://www.mckinsey.com/~/media/mckinsey/business%20functions/marketing%20and%20sales/our%20insights/agile%20marketing%20a%20step%20by%20step%20guide/agile-marketing-a-step-by-step-guide.pdf?shouldIndex=false




4 visualizações0 comentário